O atual município de Mirabela teve seu inicio por volta do ano de 1882, à margem esquerda do Córrego Brejinho onde havia apenas um rancho de capim com telhado longo sustentado por varais. Ali, a caminho de Montes Claros ou Januária, os tropeiros descarregavam seus burros e passavam as noites. Estas terras pertenciam a quatro ricos fazendeiros: João Antônio Alves de Almeida, José Antônio Mendes, Plácido da Silva Maia e Pedro Ferreira de Aquino que, para homenagearem São Sebastião, o Santo de sua devoção, mandaram construir, no local, uma pequena Capela, doando-lhe a área destinada ao Patrimônio, e em torno da qual se iniciou a formação do povoado. O nome inicial da localidade era Buriti. Posteriormente seus habitantes mudaram o nome para Bela Vista devido à sua localização sendo alterado para Mirabela em 1943. Mirabela faz parte do estado de Minas Gerais. Sua população no censo de 2010 é de 13.043 habitantes. É conhecida por ser a capital nacional da tradicional carne de sol e do pequi. A vaquejada, evento tradicional no município, juntamente com a festa do Divino Espírito Santo, a festa de Agosto, festa da carne de sol e o aniversario da cidade destacam-se como comemorações realizadas anualmente no município. A carne-de-sol de Mirabela é reputada por sua alta qualidade.

O município de Mirabela é conhecido nacionalmente pela produção de Carne de Sol com sabor único, o que a levou a ser conhecida como a Capital Nacional da Carne de Sol. A sua gente pacata e acolhedora através das suas festas tradicionais proporcionam periodicamente momentos de integração regional, especialmente na famosa “festa de agosto” quando os visitantes ultrapassam em muitas vezes o número de habitantes da cidade. Na zona rural, a vida pacata dos agricultores, a sua culinária típica (pequi com carne de sol e cachaça boa) e as paisagens do cerrado, com grutas e cavernas, que estão entre as mais bonitas do Brasil, são um atrativo especial.