Histórico

O povoado que deu origem a Cônego Marinho, antes chamado de Saco dos Bois, começou a se formar no ano de 1800, quando chegam para habitar a região, as famílias Mota, Lisboa e Rodrigues.

O nome inicial dado ao arraial de Saco dos Bois foi devido a formação geográfica do local e por se tratar de um lugar conhecido pela fertilidade de suas terras, abundancia de pastagens naturais e fartura de água, o que fazia da região um lugar muito usado para criação de gado no período de estiagem.

Em 07 de setembro de 1923, o antigo arraial de saco dos bois torna-se distrito do município de Januária e passa a chamar-se Cônego Marinho, nome dado em homenagem ao Padre José Antônio Marinho que foi o primeiro padre assistente do Cônego Ramiro Leite. O Padre José Antônio Marinho nasceu em 1803, no Brejo do Amparo, era filho de lavradores. Revelando-se portador de privilegiado talento, seu padrinho mandou-o estudar no seminário de Olinda—Pernambuco.

Após 72 anos na condição de distrito de Januária, através de um plebiscito, Cônego Marinho teve a sua emancipação aprovada em 21 de dezembro de 1995.

Cônego Marinho é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população recém-recenseada em 2010 é de 7.056 habitantes. Possui pavimentações ligando à cidade de Januária e à Bonito de Minas e a cidade de Miravânia. A cidade possui cobertura da VIVO para uso de celular num raio de aproximadamente 5 Km no centro da cidade. Faz uso da internet sem fio (wireless) fornecida pela Master Cabo e Conet de Januária e via satélite nas escolas. Possui os distritos de Cruz dos Araújos e Olhos D’água e várias comunidades próximas. O município não apresenta uma atividade comercial abrangente, exceto o artesanato de utensílios de barro (olaria) produzidos por artesões em uma comunidade próxima ao distrito de Cruz dos Araújos. Há também produção de cachaça que é comercializada quase que totalmente no próprio município,

O ponto mais alto do município é de 640 metros, local: ponto central da cidade.